PI 142 – SIMÕES – PIAUÍ: LADEIRA EM QUE OS CARROS DESCEM PRA CIMA

No ano de 2013, uma matéria do 180graus deu o que falar. Na PI 142, no trecho entre os municípios piauienses de Marcolândia e Simões (445 Km a sudeste de Teresina) está a  ladeira do Simões, onde os carros, em ponto morto, perdem força na descida e podem até subir de ré (como mostra o vídeo acima). A estrada que, ao mesmo tempo, é bem cuidada, com uma pista que havia acabado de ser feita, reserva muitos mistérios. O fenômeno, que ocorre em algumas outras ladeiras do Brasil, como em Exu, Pernambuco, é conhecido como “ladeira magnética” por fazer os carros descerem na subida. Mas afinal, o que causa isso? Será magnetismo? um ponto onde a gravidade da Terra age diferente? Será coisa de assombração? Bruxaria? Seria coisa de demônios? Ou de alienígenas? O que pode ser?

VEJA A EXPLICAÇÃO DA CIÊNCIA

Na verdade, de acordo com Bec Crew, do portal Science Alert, não há nenhuma força estranha agindo nas ladeiras gravitacionais, e os carros, bolas ou o que quer que seja que a gente coloque nesses lugares não “sobem” rua nenhuma sozinhos. Eles descem!

Contudo, por conta do entorno onde essas vias estão localizadas, nós temos a impressão de que as coisas acontecem ao contrário por ali. Em poucas palavras, se trata de uma ilusão de ótica incrivelmente convincente, e ela está associada com a perspectiva e as nossas referências visuais.

O que acontece é que o terreno onde as ladeiras estão situadas se encontram inclinados de forma que temos a impressão de que nos encontramos em um aclive quando, na verdade, se trata de um declive. Para tornar a coisa toda ainda mais convincente, as planícies nas imediações da rua gravitacional reforçam a ilusão de que a inclinação do terreno é diferente da real.

Sem falar que, na maioria das vezes, o horizonte não está visível, portanto perdemos esse importante ponto de referência para checar a verdadeira inclinação da rua. E, quando o horizonte se encontra à vista, coisas como, por exemplo, árvores e postes — que também servem de referência visual e deveriam estar perpendiculares com relação ao solo —, podem estar inclinados, reforçando a ilusão de ótica.

Uma reportagem da Record do Rio de Janeiro explica como ocorre o fenômeno, que também ocorre em uma ladeira daquele estado:

 

FONTE:

https://180graus.com/simoes/materia-do-180graus-sobre-misterio-em-simoes-repercute-em-todo-piaui

http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2013/06/desligados-e-em-ponto-morto-carros-sao-atraidos-e-sobem-morro-em-mg.html

http://curiosamente.diariodepernambuco.com.br/project/ladeira-de-exu-onde-carros-em-ponto-morto-sobem-de-re/

http://recordtv.r7.com/video/entenda-o-misterio-dos-carros-que-sobem-descida-de-estrada-no-rj-52aa5a2b596f99dbbc010cfc/

https://www.megacurioso.com.br/ilusao-de-optica/102058-por-que-em-algumas-ladeiras-as-coisas-sobem-em-vez-de-descer.htm

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

VEJA.com

Notícias sobre política, economia, celebridades, mundo e esportes. Coberturas e reportagens especiais em TVEJA.

Me desculpem, não foi de propósito!

Devaneios irreais sobre uma vida real.

O FOLCLORE BRASILEIRO

O Folclore é uma das nossas mais importantes culturas. Vamos manter a tradição, cultivá-la, divulgá-la, usufruí-la etc.

Se Conto Ninguém Acredita

Histórias de um Subconsciente Pouco Convencional

Colecionador de Sacis

Desde 2015 tirando o folclore da garrafa

Raiz Cultural

Consolidando Cultura Piauiense

Causos Assustadores do Piauí

Mitos, visagens, lendas, ovnis, ets, fenômenos e causos assombrosos do Piauí

WordPress.com em Português (Brasil)

As últimas notícias do WordPress.com e da comunidade WordPress

%d blogueiros gostam disto: