A PORCA RUIVA

(Teresina – Piauí)

30688201_412114982546210_6889840584664547328_n

Algumas décadas atrás viveu em Teresina uma mulher que, por infortúnio do destino, exercia um dos mais antigos ofício do mundo. Era prostituta.
Quando jovem era a mais bela das mulheres da Paissandú, centro de Teresina. Todos a desejavam e sua agenda de programas era sempre lotada.
O que contam é que por viver em pecado tinha perdido os limites morais: já madura e sem tantos clientes quanto nna juventude chegou ao ponto de dormir com parentes em troca de dinheiro, razão pela qual teria sido amaldiçoada.
Nas noites de quinta para sexta virava uma porca ruiva, enorme, com dentes de javali. A fera em que se tornava era tão grande que pesava cerca de oito arrobas. Nos dias em que se transformava, saía fuçando furiosamente pela cidade, perseguindo aqueles que ousassem trafegar por Teresina nas horas mortas da noite.
Desde que a maldição lhe atingiu, sempre que estava em forma humana levava uma vida maldita, sem o encanto da bela prostituta que fora na juventude. Vivia maltrapilha e embriagada, como que em nítido desequilíbrio por sua sorte infeliz.
Eram muitos os que diziam ter sido perseguidos pelo bicho. Na Vermelha, um magarefe de nome Zé, que trabalhava no Mercado Público, passou a ser chamado Zé da Porca depois que a criatura lhe botou para correr. No Dirceu, as criancinhas morriam de medo da fera. Por toda Teresina, ela espalhava seu reinado de terror.
Contam que uma noite um homem se engalfinhou com a figura do cão e lhe acertou com um tiro de raspão no rosto, o que fez o bicho sair correndo grunhindo em direção ao Rio Parnaíba.
No dia seguinte, as pessoas, desconfiadas da velha prostituta, foram conferir o estado da mulher e todos perceberam sobre um dos seus olhos um curativo, bem no lugar em que o homem tinha atingido o bicho.
Depois disso, as dúvidas do povo estavam confirmadas: a velha prostituta bêbada era quem se tornava porca nas noites de quinta para sexta… As crianças não podiam vê-la passar pela rua, que corriam todas amedrontadas para casa. Depois de um tempo, como que fugindo dos olhares acusadores, ela desapareceu e nunca mais foi vista.
Há quem diga que ela já morreu, mas tem gente que jura de pé junto que ela apenas mudou de residência e que ainda vive por aí em algum município do Piauí, bem idosa, se transformando por aí nas noites de quinta para sexta…

FONTE:

http://www.recantodasletras.com.br/causos/5069136

https://www.facebook.com/dirceuesuasmemorias/posts/528907773849137

 

TEXTO: JOSÉ GIL BARBOSA TERCEIRO

 

ILUSTRAÇÃO: DOUGLAS VIANA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

VEJA

Principais informações sobre política, economia, saúde, tecnologia, esporte e cultura.

Me desculpem, não foi de propósito!

Devaneios irreais sobre uma vida real.

O FOLCLORE BRASILEIRO

O Folclore é uma das nossas mais importantes culturas. Vamos manter a tradição, cultivá-la, divulgá-la, usufruí-la etc.

Se Conto Ninguém Acredita

Histórias de um Subconsciente Pouco Convencional

Colecionador de Sacis

Desde 2015 tirando o folclore da garrafa

Raiz Cultural

Consolidando Cultura Piauiense

Causos Assustadores do Piauí

Mitos, visagens, lendas, ovnis, ets, fenômenos e causos assombrosos do Piauí

WordPress.com em Português (Brasil)

As últimas notícias do WordPress.com e da comunidade WordPress

%d blogueiros gostam disto: