A CORPO SECO DO MORRO DO CRUZEIRO

(Monsenhor Gil – Piauí)

Conta-se em Monsenhor Gil a história de uma mulher de família rica e poderosa que viveu muito tempo atrás, nos primórdios da cidade, e, ao que dizem, era uma pessoa muito má. Após sua morte, foi sepultada em um terreno que começou a ser utilizado como cemitério pelos poderosos daquele lugar, até que, alguns anos depois, resolveram construir no lugar a Igreja Matriz Menino Deus, que levou 24 anos pra ser erguida.

Durante a construção da Igreja foram removidos os restos mortais que jaziam em sepulturas no terreno, mas quando foram desenterrar a tal malvadona, logo perceberam que seu corpo, depois de tantos anos, estava intacto, sem sinais de decomposição. Logo espalhou-se a história e todos deduziram que devido à sua maldade, nem a terra quis saber de seu corpo.

O bafafá na cidade foi tamanho que todos queriam ver a figura sobrenatural e por alguns dias ficou a mulher morta na igreja em construção, período em que dizia-se que, à noite, saía vagando pelas ruas monsenhorgilenses. Com a população toda assombrada, as autoridades eclesiásticas tomaram uma decisão: a mulher, por ser maldita, não poderia ser enterrada no solo sagrado de um cemitério. Deveria ser sepultada no topo de um morro, e, próximo à sepultura, deveria ser erguida uma cruz. Diante da decisão das lideranças da Igreja na cidade, assim foi feito, e o lugar em que a mulher foi enterrada passou a ser chamado de Morro do Cruzeiro.

A Cruz, símbolo da fé Cristã, foi tão poderosa em deter que a monstruosidade se levantasse de sua cova para assombrar o povo monsenhorgilense, que logo inciou-se uma devoção a ela, de modo que no local são desempenhadas atividades de cunho religioso, como a abertura do festejo de maio. O Morro do Cruzeiro é uma das rotas obrigatórias de religiosos e turistas que passam pela cidade. Para ter acesso ao topo, foi construída uma escadaria de 360 degraus. A vista dá acesso a toda o município de Monsenhor Gil. Com isso, todos os anos se renovam as benzeduras do lugar, afim de conter a criatura.

Ao que dizem se cessarem as atividades religiosas no lugar, inclusive demolindo-se as cruzes que existem por ali, erguidas com o tempo pela igreja, para celebrar os ritos no morro, a criatura se erguerá da terra para assombrar novamente as ruas da cidade de Monsenhor Gil.

TEXTO: JOSÉ GIL BARBOSA TERCEIRO

REFERÊNCIAS

https://www.portalr10.com/noticia/54231/monsenhor-gil-reune-turismo-religioso-misterios-e-sitio-arqueologico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

VEJA

Principais informações sobre política, economia, saúde, tecnologia, esporte e cultura.

Me desculpem, não foi de propósito!

Devaneios irreais sobre uma vida real.

O FOLCLORE BRASILEIRO

O Folclore é uma das nossas mais importantes culturas. Vamos manter a tradição, cultivá-la, divulgá-la, usufruí-la etc.

Se Conto Ninguém Acredita

Histórias de um Subconsciente Pouco Convencional

Colecionador de Sacis

Desde 2015 tirando o folclore da garrafa

Raiz Cultural

Consolidando Cultura Piauiense

Causos Assustadores do Piauí

Mitos, visagens, lendas, ovnis, ets, fenômenos e causos assombrosos do Piauí

WordPress.com em Português (Brasil)

As últimas notícias do WordPress.com e da comunidade WordPress

%d blogueiros gostam disto: